ESTÁ AQUI: INICIO / MUSEU RÁDIOS ANTIGOS


Museu de Rádios Antigos

Os Bombeiros de Vila Nova de Tazem são os detentores do único Museu Nacional de Rádios Antigos. Para além do material dedicado à actividade, o quartel dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Tazem tem a particularidade de possuir, no 1.º andar, um bem recheado Museu de Rádios Antigos. A colecção, com cerca de 200 receptores e outros objectos ligados a esta temática, foi legada àquela corporação por António Augusto da Costa, um dos seus sócios fundadores.

Hoje, com a bonita idade de 91 primaveras, este antigo Presidente da Direcção dedicou 73 anos ao comércio e reparação de rádios, na mesma vila, dando continuidade ao negócio que já tinha herdado do seu pai. Tendo coleccionado rádios antigos durante quase quatro décadas, decidiu, em boa hora, doá-los aos Soldados da Paz da sua localidade, que logo resolveram abrir um museu com todo o seu espólio. Único no país.

É uma colecção rara que inclui, também, gravadores, gira-discos e amplificadores dos anos 20 aos anos 70. À excepção de duas telefonias, marca "Grundig", já transistorizadas e produzidas na fábrica de Braga, todas as restantes são a válvulas. A peça mais antiga é de 1918, um dos primeiros rádios "galena". A maioria ainda funciona e estão em bom estado de conservação. Uma visita à sede da Philips, na Holanda, em 1971, e ao museu da rádio da empresa-mãe tê-lo-ão encantado de forma tão particular que, a partir de então, jamais parou de aumentar o seu espólio.

"Já tinha muitos aparelhos antigos, lá em casa; depois, fui comprando outros em feiras de velharias e casas de antiguidade, um pouco por todo o país” – lembra António Augusto Costa.” A colecção foi crescendo, crescendo, até deixar de ter espaço em casa. Eram uns em cima de outros". Após acordo com a família e obtenção do compromisso da criação de um museu, António Costa depositou, no quartel dos bombeiros, quase toda a história da Rádio. Os aparelhos foram catalogados e estão dispostos pela ordem da antiguidade. Nas paredes vêem-se fotografias dos principais cientistas: Henrich Hertz, que descobriu as ondas da rádio em 1864, John Fleming, o inventor da válvula electrónica em 1900, e Gulielmo Marconi, o primeiro a usar as ondas da rádio para transmitir a palavra e os sons ao mundo.

É gratificante poder visitar no local um museu daquilo que para todos nós, sempre se revelou uma companhia ou uma fonte de informação.

fonte: Jornal 'Notícias de Viseu' (com algumas retificações)
topo